Associação Gaita-de-Foles A.P.E.D.G.F. APEDGF
Associação Portuguesa para o Estudo e Divulgação da Gaita-de-foles - Portuguese Bagpipe Society .'.
gaita - bagpipe - cornemuse - zampogna - dudelsack - bock - gaida - phìob - biniou - mezoued -zucra - duda - pipe - sackpipa
  Gaita-de-fole | Sócios | Actividades | Notícias | Escola | Comprar | Orquestra de Foles Documentos  | Contactos

« Principal « Notícias « Desenhar a Música
.

Cartaz da exposição.

Espaco.gif (821 bytes)
Espaco.gif (821 bytes)
Espaco.gif (821 bytes)
Espaco.gif (821 bytes)
Espaco.gif (821 bytes)
Espaco.gif (821 bytes)
Espaco.gif (821 bytes)
Espaco.gif (821 bytes)

Desenhar a Música
Exposição de José Garcês, no Museu da Música
Lisboa,
de 26 de Janeiro a 26 de Março de 2006


Quem gosta de banda desenhada e música não deve deixar de visitar o Museu da Música a partir de 26 de Janeiro, data em que se inaugura a exposição “Desenhar a Música”, centrada em desenhos originais de José Garcês, um dos mais conceituados autores portugueses de bd com um importantíssimo percurso de mais de 50 anos e que recentemente editou o álbum “História de Faro em BD”.
A exposição, organizada pelo Centro Nacional de Banda Desenhada e Imagem (CNBDI) com o apoio científico do Museu da Música, procura através da bd ilustrar algumas das situações possíveis de uso da música no século XV, propondo uma aproximação à sociedade portuguesa da época.

Os originais de José Garcês, onde se podem ver representações de gaitas de foles, trombetas, charamelas, órgãos, clavicórdios, alaúdes, sanfonas ou saltérios, surgem integrados no espaço da exposição permanente, possibilitando dessa forma traçar uma correspondência entre os desenhos e alguns instrumentos das colecções do Museu.

Os visitantes poderão apreciar 21 das 30 pranchas que o autor criou para a exposição “Música no século XV” que esteve patente no Museu do Mosteiro da Batalha em 1981. A história que serve de argumento à BD é inventada, mas baseia-se num episódio verídico da nossa história, a visita de uma embaixada flamenga a Portugal chefiada pelo Duque de Borgonha, decorria o ano de 1428 e estava em construção o Mosteiro da Batalha.
A exposição agora apresentada esteve patente no CNBDI no decorrer de 2005, sendo uma actualização (revista e aumentada) da exposição original de 1981 preparada por José Garcês a convite do Mosteiro da
Batalha.

Durante o tempo em que a exposição estará patente no Museu da Música serão realizadas actividades pedagógicas específicas de divulgação da música e da bd junto de públicos de todas as idades.
Destaque para as visitas guiadas que o próprio José Garcês irá efectuar à exposição ou as actividades a realizar pela Proto - Associação Teatro Observatório. Estas actividades serão divulgadas oportunamente.

Os originais de José Garcês
O conjunto de pranchas expostas, de grandes dimensões (80x50 cm), desenhadas a tinta-da-china e coloridas por José Garcês de propósito para esta nova exposição, recriam cenas tardo-medievais e do renascimento onde se vêem músicos a tocar os seus instrumentos.
As pranchas criadas por Garcês têm por base esculturas e iluminuras de diversas origens, representando cenas de danças e músicos tocando diversos tipos de instrumentos característicos da época. Nesse sentido, são registos particularmente interessantes já que recriam de forma muito interessante e cuidadosa um conjunto de instrumentos antigos sobre os quais existem muitas dúvidas, discussões e teorias. Mas o seu interesse vai mais longe, visto que aliam o carácter artístico às preocupações
pedagógicas.

Sobre o Museu da Música
O Museu da Música é uma instituição tutelada pelo Instituto Português de Museus (IPM) onde se encontra uma das mais ricas colecções instrumentais da Europa, além de vários espólios documentais e os acervos sonoro e iconográfico.
Com mais de mil instrumentos musicais dos séculos XVI a XX, sobretudo europeus, mas também africanos e asiáticos, de tradição erudita e popular, o museu possui instrumentos raros e de incalculável valor histórico e organológico, de que são exemplo os corne ingleses de Grenser e de Grundman & Floth, o oboé de Eichentopf, o cravo de Pascal Taskin ou o violoncelo de António Stradivari, que pertenceu e foi tocado pelo rei D. Luís. O museu é ainda particularmente notável pela quantidade e qualidade de instrumentos de factura portuguesa, espécimes pouco abundantes em museus congéneres. Está aberto ao público desde 26 de Julho de 1994 na estação do metropolitano Alto dos Moinhos.

Informações:

Museu da Música
Estação do Metropolitano Alto dos Moinhos
Rua João de Freitas Branco
1500-359 LISBOA (Portugal)
Tel. 21 771 09 90 - 8 / Fax. 21 771 09 99
e-mail:
[email protected]
site:
http://www.museudamusica-ipmuseus.pt

Centro Nacional de Banda Desenhada e Imagem (CNBDI)
Av. do Brasil, 52 A
2700-134 Falagueira
Tel. 21 499 89 10 / Fax. 21 496 23 53
e-mail:
[email protected]
site:
http://www.amadorabd.com


 


Início | Gaita-de-fole | Sócios | Actividades | Notícias | Escola de Gaitas |
Comprar | Orquestra de Foles | Documentos | Equipa | English  | Links | Contactos
Powered by RRMerlin

Associação Gaita de Foles - direitos reservados