Associação Gaita-de-Foles A.P.E.D.G.F. APEDGF
Associação Portuguesa para o Estudo e Divulgação da Gaita-de-foles - Portuguese Bagpipe Society .'.
gaita - bagpipe - cornemuse - zampogna - dudelsack - bock - gaida - phìob - biniou - mezoued -zucra - duda - pipe - sackpipa
  Gaita-de-fole | Sócios | Actividades | Notícias | Escola | Comprar | Orquestra de Foles Documentos  | Contactos

 
 
     
     
 

 

Edições
As várias edições do evento desde 2002 »

Registos
Fotografias, Vídeos, Sons: a memória
dos Tocadores »
Apontadores
Internet, Livros, Discos... »

 

Espaco.gif (821 bytes)


Tocar de Ouvido
> Projecto


Encontro de Tocadores
Portugal passado, presente e futuro

Portugal é hoje muito diferente do que era há 30 anos atrás.
Para lá de polémicas reavivadas sobre o passado recente do país, hoje
em discussão ruidosa e porventura pouco útil, quase todos sentem que este mudou profundamente. Depois do 25 de Abril de 1974, veio a democratização, a rápida modernização e alfabetização do país e a entrada na União Europeia. Sentiram-se melhorias palpáveis nas condições de vida de todos, em maior ou menor grau; cresceram ainda mais as cidades, mudaram para sempre os campos. Portugal faz hoje parte da globalização, para o bem e para o mal.

Nos tempos que correm, algumas pessoas, oriundas de diversos campos e formações debatem uma questão premente e actual: que identidade tem Portugal hoje, num contexto europeu e globalizado?

E sobretudo, que identidade musical têm hoje os portugueses, os de antes e os de agora? Que instrumentos tocam? Que músicas cantam?
Qual é a música das aldeias? Qual é a música das cidades? E onde está essa música, hoje? Quem a toca e quem a quer aprender?
Enquanto que muitos outros países europeus incluem a sua música popular no currículo dos conservatórios e das universidades, em Portugal esse ainda é um sinal de progresso que avança devagar e de forma incipiente - um facto paradoxal num país com 900 anos de História, por onde passaram tantos povos e influências, com tantas formas musicais.

O projecto Encontro de Tocadores surgiu em 2002, quando várias associações e pessoas que se dedicavam à música e dança "tradicionais" se uniram para realizar um evento onde estes temas estivessem presentes e onde se pudessem problematizar estas questões, de uma forma prática, criativa e com consequências no futuro - sem folclorismos empobrecedores de má memória ou uma visão arcaísta e preconceituosa das práticas musicais populares.

Mais do que reflectir sobre os processos de mudança que se viveram e vivem hoje, ou cair na ladainha estéril de lamentar a perda das raízes e as inevitáveis mudanças, o objectivo é fazer - fazer acontecer música.

Pôr em contacto dois universos distantes: os Tocadores que ainda hoje fazem música, a música das aldeias, a música dos pais e avós, com os
tocadores mais novos; os tocadores das cidades, aqueles que já nasceram perto da Internet, dos telefones móveis, da MTV, do Walkman e do leitor de mp3, dos Conservatórios e das escolas de música - de universos musicais diferentes, em suma. E que todavia querem saber mais sobre os Tocadores que os precederam, tocar as suas músicas, ouvir as suas histórias e aprender com eles.

Em cada oficina, um Tocador transmite os seus conhecimentos mais bem guardados: os truques do ofício, os materiais dos seus instrumentos, aquela "moda" preciosa cheia de riqueza musical insuspeitada - mas também a sua história de vida, como e quando começou a tocar, quem o
ensinou e para quem tocava. Histórias de Tocadores individuais que são muitas vezes o retrato de um país e da sua identidade colectiva.

Acompanhando-o em cada oficina está também um pivot; um músico urbano, bom conhecedor dos cânones de uma educação musical formal, que se encarrega de "traduzir" algumas convenções musicais, próprias do universo dos Tocadores, com as quais muitos alunos tomam contacto pela primeira vez.
O seu papel é também o de apoiar o trabalho de todos, incentivando-os a descobrir o melhor de cada música, de cada forma de tocar; na subtileza dos gestos, ritmos e sensibilidade, que se percebem "naquele jeito de tocar" que identificamos como único - e que nos traz afinal, tanta riqueza musical.

O Tocar de Ouvido - Encontro de Tocadores é isso mesmo; um espaço onde se (re)descobre um país: o país que já pouco existe, o país que é hoje e sobretudo, o país musical que será criado amanhã. Sem saudosismos preconceituosos, apenas vontade de criar, mantendo o cunho identitário que faz da música portuguesa uma música diferente de todas as outras. Uma atitude cosmopolita que valoriza o que há de bom na música dos Tocadores.

Crescer musicalmente, dentro e fora das fronteiras de uma identidade que sentimos como nossa, é o objectivo.






 


Início | Gaita-de-fole | Sócios | Actividades | Notícias | Escola de Gaitas |
Comprar | Orquestra de Foles | Documentos | Equipa | English  | Links | Contactos
Powered by RRMerlin

Associação Gaita de Foles - direitos reservados